Apesar da quarentena, os roubos e furtos aumentam em 14,5% no Brasil

Vivenciamos um período turbulento no mundo, o COVID-19. Sabemos que esse está sendo um momento muito difícil para todos e que a preservação da saúde deve ser prioridade. Por isso, a quarentena é uma alternativa para evitar a propagação do vírus. Então, pensamos que, como as pessoas estão sendo “obrigadas” a permanecer em casa, os roubos e furtos diminuíram, certo?

No entanto, infelizmente, não foi o que isso aconteceu. Você sabia que os furtos de roubo de veículos aumentaram em 14,5% no Brasil, mesmo no período da quarentena? Vamos entender mais sobre o assunto? Continue a leitura!

Entenda o que diz a matéria sobre o aumento dos roubos e furtos no Brasil no período da quarentena

A circulação de veículos e pessoas reduziram nas estradas brasileiras, em virtude da pandemia do coronavírus. Afinal, é um momento de reclusão social para evitar que a doença se propague, certo?

No entanto, apesar disso, de acordo com os relatórios e estudos realizados pelo Grupo Tracker (empresa de rastreamento e localização de veículos no Brasil), os roubos e os furtos aumentaram. As ocorrências com picapes e SUVs aumentam em 14,5%. Com relação às motocicletas, houve uma queda de 12,5% e os veículos pesados também caíram 12,5%. Veja o quadro comparativo:

Segmento Nacional São Paulo Rio de Janeiro
todos 7,65% 19,83% -34,04%
caminhão -7,10% 0,00% 0,00%
carros / pick-up / SUV 14,50% 28,80% -34,10%
motocicleta -12,50% -25,00% 0,00%

Fonte: Revista Cobertura

Esses estudos foram baseados nas últimas duas semanas (15 a 28 de março) e comparadas com as semanas anteriores (1 a 14 de março) em todo o Brasil. 

“Apesar da ligeira queda, somente no dia 27 de março a nossa central recebeu cinco chamados de roubos e furtos de caminhões e carretas — todos recuperados, o que evitou um prejuízo de mais de R$ 1 milhão aos nossos clientes”, conta Vitor Correa, coordenador de operações do Grupo Tracker.

Será possível realizar um estudo, a partir da análise das próximas semanas, para avaliar se os criminosos estão mudando a forma de atuar e cometendo mais delitos que envolvem cargas.

Saiba o que fazer para evitar os roubos e furtos

Primeiramente, é preciso ressaltar que a primeira coisa a se fazer é pensar na sua saúde e no bem-estar de todos os seus familiares e das pessoas do seu círculo de convivência. Então, a dica geral é, se possível, #FiqueEmCasa para evitar o contágio.

Lembre-se de que o mais importante é prevenir-se, acompanhar os principais veículos de comunicação da sua cidade e abusar das medidas protetivas, impostas pelo Ministério da Saúde, que até o momento são:

  • lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%;
  • ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.
  • evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado;
  • mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando;
  • evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto;
  • higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças;
  • não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos;
  • mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;
  • evite circulação desnecessária nas ruas, estádios, teatros, shoppings, shows, cinemas e igrejas. Se puder, fique em casa;
  • se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos e fique em casa até melhorar;
  • durma bem e tenha uma alimentação saudável; e
  • utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência.

Veja o que fazer quando ficar em casa não é uma opção

Sabemos que nem todas as pessoas podem ficar em casa, certo? Então, se essa é a sua realidade, saiba que, primeiramente, é preciso seguir as recomendações acima para evitar pegar e transmitir o COVID-19.

Com relação ao seu veículo, uma dica interessante para evitar os roubos e furtos é investir na proteção veicular, você sabe o que é isso? Ela é uma alternativa interessante para todas as pessoas que querem proteger o seu veículo, no entanto, preferem não investir nas tradicionais seguradoras. 

A proteção veicular funciona como um sistema de rateio: divide-se de uma forma direta todos os custos de roubos, colisão, enchente e outros sinistros dos associados. Por isso, é uma opção interessante para o período de pandemia, principalmente porque os custos são bem menos elevados do que um seguro tradicional.

Aprenda como funciona a proteção veicular

Muitas pessoas têm dúvidas sobre como funciona a proteção veicular e a confundem com as seguradoras tradicionais. Por isso, a proteção veicular é diferente. 

Para começar, ela não faz análise de perfil do condutor (como idade, CEP, gênero etc), não consulta ao SPC e ao Serasa, não é preciso ter o nome limpo e não tem restrição em relação ao ano de fabricação do veículo (diferentemente do que acontece com as asseguradoras).

Na proteção veicular, o seu carro estará sempre protegido e em todos os momentos, independentemente de quem estiver dirigindo ou em qual localidade. A proteção veicular protege contra furtos e roubos, colisões, incêndios, fenômenos da natureza, perda total e assistência para-brisa.

Além disso, uma das principais vantagens com relação ao período da pandemia é que a mensalidade varia conforme as condições financeiras do associado. Por isso, mesmo que você pense que não tenha um bom investimento para iniciar, saiba que é possível conversar com os consultores para avaliar o melhor custo-benefício para o seu caso.

E aí? Gostou de aprender mais sobre os roubos e furtos no período da quarentena, bem como a nossa solução de proteção veicular? Ficou interessado em saber mais sobre ela? Entre em contato agora mesmo e vamos conversar!

Por |2020-07-30T10:56:29-03:0023 de abril De 2020|Categorias: Dúvidas|0 Comentários

Deixe um comentário!